O parque contará com um edifício sede que cumprirá a função de receber o público e sediar eventos, além de desenvolver pesquisas. São previstos 1500m² distribuídos em quatro blocos.

A sede do PISAC expressa um paradigma de sustentabilidade adequado ao contexto do Brasil, tendo como referência e base de trabalho, os processos e metodologias já desenvolvidos em outros países ao longo das últimas décadas. OS projetos de arquitetura e complementares foram desenvolvidos pelo consórcio coordenado pela Mindlin Loeb Arquitetos.

Entre os principais conceitos citam-se:

  • Conservação do território – vegetação e topografia
  • Revitalização da paisagem
  • Baixo impacto visual
  • Flexibilidade
  • Materiais de baixo impacto ambiental
  • Materiais com alto desempenho no Responsible Sourcing
  • Eficiência energética e hídrica
  • Usina solar
  • Certificação BREEAM

A estrutura física do PISAC configura-se em quatro edifícios térreos elevados do solo, separados, independentes e interligados por passarelas em nível. Definiu-se um zoneamento que organiza o programa (Figura 5):

  • A partir do edifício de acesso principal (I) com recepção, espera, venda de publicações e sala de aula multiuso;
  • Um edifício de eventos e exposições (II), com auditório, sala de eventos e exposições, mezanino de trabalho e apoio (sanitários);
  • Um edifício dedicado exclusivamente aos escritórios e reuniões (III);
  • O edifício de apoio de infraestrutura de instalações, concentrando o maior volume de hidráulica e elétrica, salas de distribuição, vestiário, sanitários e cafeteria (IV).
  • E a Praça de Protótipos (V) com dez (10) terrenos 10x12m.