É o protótipo liderado pelo Sindicato da Indústria da Construção de Goiás contando com a participação da academia e vários escritórios de arquitetura locais, como Arquitetura Viva, Errevê Engenharia e Hidrante Engenharia. As premissas norteadoras do projeto são: edificação retrátil e transportável, captação e utilização de águas pluviais e reutilização de águas cinzas, telhado vivo, vedação leve e mista, paisagismo funcional, novos materiais, e eficiência energética.